Eu escrevo e te conto o que eu vi

Um blog sobre tudo e sobre nada.

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Um gajo deveras apaixonado pelo que faz. Jornalista, magro, pobre e feio. Tio da Carolina e da Gabriela, marido da Viviane. Repórter de esportes e motor, sãopaulino consciente, assessor de imprensa, fanático por automobilismo e esportes de aventura, e também freelancer, porque ninguém é de ferro.

sexta-feira, março 17, 2006

The Gig

AMERICANA (sexta-feira. Eba!) - Quarta-feira realizei um sonho. Vi um show do Oasis. Todo mundo fica aí pagando pau pro U2 e o bom-caratismo-politicamente-correto de Bono Vox e sua turpe e se esquece que o negócio é rock'n roll. Tá bom, o som dos caras também é ducaralh..., mas como disse certa vez Noel Gallagher, "se eu tivesse de ser responsável, eu seria padre, não líder de uma banda de rock. Aliás, um padre que faria boas músicas". Ou enfiava logo o pé na jaca, como Liam, dando de ombros com um I don't give a shit.

Enfim, rock'n roll. Começou tudo no horário previsto, mas antes, eu queria descrever a epopéia que eu, Ganso, Ana, Talita e Matheus nos submetemos até chegar ao estacionamento do Credicard Hall, em Sumpaulo.

13h30 - Entrei no jornal, riscando o cartão no mesmo horário de sempre. Só que com muuuuuuuita pressa, pra acabar rápido e chispar pro show.

15h - Tô na rua com o fotógrafo cumprindo três pautas. Liga repórter daqui, de lá, tudo precisando do cara ou pedindo pra passar em tal lugar só pra fazer uma foto. Eu atendia o celular dele e dizia: "Na boa, hoje não dá, eu tenho que sair dessa merda até no máximo as 17h30. Se fosse qualquer outro dia, eu faria com prazer". Quando tô com pressa, eu viro um monstro.

16h - Terminando de apurar treinos, fazendo ligações, escrevendo algumas coisas e deletando e-mails do tipo "aumente sua performance sexual".

16h30 - Reunião de pauta: checagem de andamento da coisa. Nada demais. Só meia hora pra me atrasar mais ainda.

17h30 - Ganso me liga:
- Tá acabando?
- Tô escrevendo uma e faltam duas.
- Olôco!!!
- Não, cara. É só escrever, já tá tudo apuradinho.
- Então acelera, bicho.
- Adeus.

18h30 - Consegui sair do jornal.

Aí choveu.

Saí debaixo de um belo toró em direção à casa do Ganso. Eu ia com o meu carro e ele, com o do pai dele, um Vectra. Na estrada, indo pra casa da namorada dele, eu estava a 80 por hora e abria distância. Pensei: "cacete, esse filho da mãe não tá com pressa?". E liguei no celular dele pra dar aquele esporro. "Cara, o carro tá falhando, tá acendendo a luz da injeção eletrônica!".

"Ainda bem que é um Vectra!", ironizei. Aos trancos e barrancos, chegamos à casa de Ana e eles pegaram o carro do irmão dela. A chuva parou e pisamos fundo pela Bandeirantes rumo a Sumpaulo. Marginal Pinheiros ok, trânsito flui devagar, mas flui, ok.

Ponte do Morumbi. Parou tudo. A bagaça começava às 21 horas, achávamos. Conseguimos estacionar às 20h45. Ignoramos a fila, cortamos bonito (com a desculpa de sermos do interiorrrr. Nóis semo do interiorrr, mais nóis não semo trôxa! hehehe) e entramos no Credicard Hall exatamente às 21 horas. Sem fila nem nada. E de pensar que tinha trouxa na fila do bagulho desde às 7 da manhã...

22 horas, apagam as luzes e começa Fucking In The Bushes, a galera grita e os caras entram no palco. E já embalam com Turn Up The Sun pra galera pular. Todo mundo extasiado, babando nos acordes de Noel. O cara destrói na guitarra.

Aí choveu.

Bem na segunda música, Lyla. Mas foi ótimo, foi pra lavar a alma. Depois, outras que não me lembro a ordem. Algumas épicas, como Masterplan, Champagne Supernova. E as que eu mais esperava por ser rock'n roll puro: Cigarettes And Alcohol, Rock'n Roll Star e o cover do The Who, My Generation.

Uma observação sobre Cigarettes And Alcohol. Jamais notei desvantagem alguma em ser alto. Tenho 1,90m, só que nesse show, muita gente tirou proveito da minha altura. Vira e mexe alguém me cutucava: "Moço, você me levanta?". E eu, tontão, levantava a mulherada. E nessa música, foi a primeira guria que eu levantei e era a música que eu mais queria pular. A mina quase ficou doida lá em cima, e eu pulando com a mina no meu ombro.

No bis, Supersonic, Don't Look Back In Anger, e My Generation, pra acabar com tudo. Muito loco. Fomos embora de alma lavada.

Puta show galera, puta show.

4 Comentários:

Anonymous Diego disse...

Realmente uma verdadeira epopéia, meu chapa, mas sem dúvida alguma valeu a pena cada gota ácida de chuva da capital do nosso próspero estado...ahahahaha

Abs

8:55 PM  
Anonymous Ana disse...

Como prometido anteriormente, meu singelo comentário: "I WAS THERE!!!HEHEHEHEHE"

11:13 PM  
Anonymous Matheus disse...

Ainda em extase - BUT I don't mind As long as there's a bed beneath the stars that shine I'll be fine -tava loco...
abraço

10:21 AM  
Anonymous Vivi disse...

Que maratona hein fio! Mas pelo visto valeu e é o que importa! Ah, e se tivesse sido fácil ir pro show não ia ter nada disso pra contar... rsrsrs

11:46 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial