Eu escrevo e te conto o que eu vi

Um blog sobre tudo e sobre nada.

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Um gajo deveras apaixonado pelo que faz. Jornalista, magro, pobre e feio. Tio da Carolina e da Gabriela, marido da Viviane. Repórter de esportes e motor, sãopaulino consciente, assessor de imprensa, fanático por automobilismo e esportes de aventura, e também freelancer, porque ninguém é de ferro.

sexta-feira, agosto 11, 2006

Porque japonês também sabe das coisas

AMERICANA (torce, retorce, procuro mas não vejo) - Algo que eu não sabia, e é interessante. Toyota e Honda têm uma altíssima rotatividade de mecânicos na Fórmula 1 (não necessariamente em funções vitais). Mandam os funcionários de suas fábricas para trabalhar um ou dois anos nas corridas, e depois os trazem de volta para as linhas de montagem.
.
O objetivo não é fazer com que aprendam nada em especial sobre controle de tração ou amortecedores de massa, mas sim inseri-los num ambiente hostil e competitivo para que ao voltar apliquem conceitos de competitividade nas suas atividades do dia-a-dia. Para que apertem um parafuso na fábrica com a mesma gana, responsa e tensão com que trocam um pneu num pit stop, em resumo.
.
Na visão japonesa, a F-1 não serve só para fazer propaganda e vender mais carros. Serve para aperfeiçoar seus operários, também.
.
Não é fantástico?
.
.
*Fonte e texto by: Blig do Gomes - www.bligdogomes.blig.ig.com.br

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial