Eu escrevo e te conto o que eu vi

Um blog sobre tudo e sobre nada.

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Um gajo deveras apaixonado pelo que faz. Jornalista, magro, pobre e feio. Tio da Carolina e da Gabriela, marido da Viviane. Repórter de esportes e motor, sãopaulino consciente, assessor de imprensa, fanático por automobilismo e esportes de aventura, e também freelancer, porque ninguém é de ferro.

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Gentleman, start your engines!


Pódio na Aldeia da Serra: Eu em terceiro, com a lata de Mad Croc


SÃO PAULO (rumo à profissionalização, haha) - Semana passada teve corrida da FIAk, a Federação Internacional dos Andadores de Kart, o campeonato de kart dos jornalistas que trabalham no automobilismo. Até que fui bem. Larguei em quarto, perdi duas posições na largada, perdi mais quatro numa confusão na primeira volta, mas fui me recuperando e ainda cheguei em terceiro, como ilustra a foto do pódio.
.
Abaixo, o release oficial da FIAk.
.
FIAk encerra temporada com Prova do Milão
.
Ricardo Lopes vence na Aldeia da Serra e é o sétimo vencedor diferente em sete provas. Final na Granja Viana inclui quatro pilotos lutando pelo título em prova que terá premiação mil-onária.
.
Jornalistas antecipam novidades. Desta vez, eles farão isso na própria pista mesmo. Enquanto a Copa Nextel Stock Car anuncia a criação da “Prova do Milhão” neste ano, a FIAk (Federação Internacional dos Andadores de Kart) disputará a final de sua sexta temporada com um atrativo de fazer inveja a qualquer piloto profissional do planeta: um prêmio mil-onário.
.
“Sei que muita gente fala da prova do milhão. Terá transmissão ao vivo de uma televisão cuja marca meu diretor não me permite citar por questões de reciprocidade. OK, mas minha prova será meses antes. E com o mesmo prêmio, mudando apenas uma letrinha, um H, que nem tem pronúncia na língua portuguesa”, explicou Rodrigo Ecclestone em entrevista coletiva realizada ontem, após a disputa da sexta etapa, no Kartódromo Aldeia da Serra.
.
A diferença entre a prova fiakiana e a da Stock Car é que, ao invés do milhão (de dólares), a premiação será de um milão de reais. “O real já mostrou ser uma moeda forte mesmo nesta época de turbulência do mercado”, disse Ecclestone. Questionado sobre o quanto entendia do mercado, o dirigente preferiu não responder, dizendo que já visitou o lugar algumas vezes.
.
“Até provei aquele sanduíche de mortadela”, comentou o sobrinho-neto não-reconhecido de Bernie. Não se sabe ainda quem patrocinará o evento. “É uma enorme quantia de dinheiro, não se arruma assim da noite para o dia. São muitas divisas, é preciso até comunicar a Receita”, diz o dirigente. “Possíveis parcerias serão estudadas. Podemos até envolver o futebol, inclusive com aquele clube italiano, o Inter de Milão, que tem tudo a ver com o projeto”.
.
Ecclestone admite: pensou em fazer uma prova valendo um milhão. “Mas não ia pegar bem fazer uma prova valendo um milhão na Granja, né? Os trocadilhos iam ser muito infames”, resumiu. Além da farta premiação em dinheiro, a final da FIAk terá uma disputa recorde pelo título da temporada. Serão quatro pilotos com chances: Rodrigo França, líder do campeonato, com 40 pontos, Luiz Vicente (35), Bruno Terena (33) e Ricardo Lopes (31), que se manteve na briga após vencer com facilidade a prova de ontem, na Aldeia da Serra.
.
Lopes, que já acumula um título na FIAk, não vinha bem nesta temporada, com apenas dois terceiros lugares. A reação não poderia ser mais avassaladora: pole, liderança de ponta a ponta e melhor volta, quase 1s5 mais rápido que o segundo colocado. “Que kart melhor que nada. Foi tudo no braço. E um pouco na barba também”, disse o piloto, cultivando um ar semi-terrorista. Ele negou qualquer participação com o cancelamento do Dakar neste ano. “O máximo que fiz foi passar umas informações sobre pontos estratégicos para um pessoal muito gente boa que usa barba comprida de um grupo chamado Talismã, ou algo assim”, afirmou.
.
Luiz Vicente foi o segundo colocado e agora é o segundo também na luta pelo título. O piloto, no entanto, descarta 2 pontos e assim precisa vencer e torcer para França não chegar entre os cinco primeiros. “Não quero saber de Descartes. Nem de Voltaire, Rosseau, enfim, qualquer um que remeta à França, porque isso pode favorecer meu rival na luta pelo título”, explicou.
.
Terena também tem 33 pontos válidos e está na mesma situação de Luiz. Na sétima etapa, ele chegou em quinto e se manteve na briga. “Tri, jamais”, disse à imprensa, referindo-se ao possível terceiro título de França. Ironicamente, seu Messenger ostentava a mensagem “À espera de um milagre”. Sua assessoria de imprensa negou pessimismo por parte do piloto da Jaceguava Racing. “É que ele gosta muito deste filme, especialmente da atuação do Tom Hanks”, explicou Bruno Vicaria.
.
França mantém o discurso otimista em relação à conquista do título. Ontem, ele largou na última fila ao trocar de kart, mas mesmo assim chegou em quarto, o suficiente para mantê-lo na ponta. O piloto voltou a negar rumores de aposentadoria caso conquiste o terceiro título. Na imprensa francesa, há quem aponte que a F-1 poderia ser um caminho: o piloto foi visto em Paris recentemente. “Fui comprar um boné na Renault, custa 10 euros mais barato lá”, comentou. “Além disso, ou fico na FIAk, ou paro de vez. Nem penso em F-1. Não há porque dar um passo para trás na carreira depois dos 30 anos”, disse.
.
A sétima etapa também foi marcada pela boa atuação de Cleber Bernucci (Kilométrica 2 Cores), o terceiro colocado, e pelos primeiros pontos de Ricardo Franca, em sexto. O piloto de Americana pode perder seu pódio porque seu kart estava 2 quilos mais leve. Seus rivais também apontam que era Sebastien Bourdais, da Toro Rosso, o piloto a representá-lo nesta etapa. “Somos separados no nascimento”, disse.
.
Já Franca foi franco. “Francamente, França é fraco”, disse. Os jornalistas quiseram então, ouvir França, que foi enfático. “Não falo sobre pessoas sem cedilha no sobrenome”. Cássio Cortes foi o sétimo colocado, após trocar de kart. “Cara, correr na Aldeia é programa de índio”, foi tudo o que conseguia dizer. A direção de prova rebateu as acusações e registrou o piloto como Tássio. “Tássiachando o cara”, disse um fiscal, que preferiu não se identificar.
.
Pandini fechou a zona de pontuação com o oitavo lugar. Foi uma de suas melhores provas no ano, chegando a ocupar a 3ª colocação. “Fui jogado para fora. Ninguém respeita os pandas. É por isso que penso em alguma categoria ecologicamente correta”, comentou Pandini.
.
Alexander Grunwald e Osvaldo Grunfriend bateram... na trave na luta por um pontinho. “Quero ver quem é o campeão, quem é...”, repetia Grun, no ritmo do slogan do canal Sportv. Rogério Artoni chegou em 11º, batendo o último colocado por incríveis sete voltas. É que Tiago Mendonça, outrora um vencedor na FIAk, não resistiu às dores pançagudas e abandonou a prova na 18ª volta. “Tiago está fooooooora de forma”, resumiu, com o tom característico dos narradores.
.
Grid de largada – 7ª etapa, 2007, Aldeia da Serra

1. Ricardo Lopes, 53s22
2. Tiago Mendonça, 54s42
3. Luiz Vicente, 54s55
4. Cleber Bernucci, 55s09
5. Luiz Alberto Pandini, 55s92
6. Bruno Terena, 56s24
7. Osvaldo Grunfriend, 57s08
8. Ricardo Franca, 57s20
9. Alexander Grunwald, 57s47
10. Rogério Artoni, 57s76
11. Rodrigo França, 55s23 (5º, punido após troca de kart)
12. Cássio Cortes, 56s29 (8º, punido após troca de kart)
.
Sétima etapa – FIAk 2007, Aldeia da Serra
1. Ricardo Lopes, 27 voltas. 52s39
2. Luiz Vicente, a 21s69. 53s76
3. Cleber Bernucci, a 42s41. 53s85
4. Rodrigo França, 1 volta. 53s75
5. Bruno Terena, a 4s79. 54s26
6. Ricardo Franca, a 5s79. 54s05
7. Cássio Cortes, a 23s47. 55s09
8. Luiz Alberto Pandini, a 23s77. 54s1
9. Alexander Grunwald, 2 voltas. 56s58
10. Osvaldo Grunfriend, a 25s43. 54s60
11. Rogério Artoni, a 31s98. 57s22
12. Tiago Mendonça, abandono (excesso de glicose região anal). 53s74
.
Campeonato FIAk 2007 (após 7 etapas):

1. Rodrigo França, 40
2. Luiz Vicente, 35 (33)
3. Bruno Terena, 33
4. Ricardo Lopes, 31 (29)
5. Cassio Cortes, 25
6. Tiago Mendonça, 24
7. Leonardo Murgel, 18
8. Cleber Bernuci, 11
Alexander Grünwald, 11
10. Adriano Griecco, 10
11. Luiz Alberto Pandini, 9
12. Roberto Miranda, 5
13. Fabricio Lima 4
14. Rafael Durante, 3
Bruno Vicaria, 3
Ricardo Franca, 3
17. Rogério Artoni, 2
Victor Martins, 2
Rafael Valesi, 2
20. Carsten Horst, 1
21. Betto D\'Elboux, 0
Felix Bernuci, 0
João Anacleto, 0
Luis Fernando Ramos, 0
Rogério Reseke, 0
Anderson Marsili, 0
Rafael Lopes, 0
.

1 Comentários:

Blogger Diegovj disse...

ESSE É MEU GAROTO, vai tomar mad croc, vai...auahua

COV!

8:35 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial