Eu escrevo e te conto o que eu vi

Um blog sobre tudo e sobre nada.

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Um gajo deveras apaixonado pelo que faz. Jornalista, magro, pobre e feio. Tio da Carolina e da Gabriela, marido da Viviane. Repórter de esportes e motor, sãopaulino consciente, assessor de imprensa, fanático por automobilismo e esportes de aventura, e também freelancer, porque ninguém é de ferro.

terça-feira, fevereiro 02, 2010

20 anos


SÃO PAULO (voltei mais cedo do que pensava) - Meu irmão me liga hoje. "Parabéns". Pensei, "que cazzo que merda que eu fiz dessa vez?". Nada demais. Ele só me lembrou de algo que eu lembrava todo dia 2 de fevereiro, e que esqueci neste ano por causa dessa correria maluca.
.
Hoje faz exatamente 20 anos que carrego esta cicatriz na sobrancelha esquerda - que aparece à direita nesta foto. Na ocasião, foi um belo talho. Eu tinha oito anos e brincava com um amigo na casa vizinha. Fui fechar o portão da garagem, um portão alto, de correr, com aquelas pontas que mais pareciam lanças.
.
No que fechei o portão, vi que a bagaça descarrilou. Saiu do trilho. Dali em diante, só me lembro de alguém gritando, ao fundo "o portão vai cair!". Aí, amigo, foi só escuridão.
.
Depois lembro de um monte de gente tentando tirar o portão de cima da minha cabeça. 2 de fevereiro de 1990. Era um sábado, acho que umas duas ou três horas da tarde. Meu pai estava viajando, e meu irmão assistia "Sexta-Feira 13 - parte 5" em casa quando ele e minha mãe aparecem no vizinho, esbaforidos, e me vendo cheio de sangue na região da cabeça. Para o meu irmão, o filme continuou ali.
.
Dali até a sala de curativo do hospital eu também não me lembro. A lança do portão acertou a minha sobrancelha, e por muito pouco não me arranca um olho. Foram três pontinhos e os pêlos não mais nasceram na região afetada, conferindo um ar de bandido do faroeste. "Pestana, procurado vivo ou morto".
.
Durante muito tempo eu não gostei muito da idéia. Tanto que em formaturas, ocasiões especiais, nas minhas reportagens da época em que trabalhei em TV, e até no meu casamento, eu usei um lápis para encobrir. Lápis não; Photoshop real.
.
Depois desencanei. Mas a cicatriz persiste. E segundo o pessoal daqui, essa pancada na cabeça ajuda a explicar muita coisa...
.
No que concordo.

3 Comentários:

Blogger Diegovj disse...

Também concordo, vc sempre foi meio louco mesmo.

Abs!

2:21 PM  
Blogger Lu de Luca disse...

credo que trauma...
mas fica frio, depois disso, passarei a entendê-lo melhor...rs

bjos

2:37 PM  
Blogger Lili Cheveux de Feu disse...

acabei de mencionar o senhor lá no filhas. =)

como anda???
cheguei com um mês e pouco de atraso, mas, parabéns pelos mais de 20 de anos da "portãozada" na sobrancelha. hahaha.

beijo.

2:10 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial